14 julho, 2017
0

In Vino Veritas – por Graziela Gilioli

No século XV o Renascimento colocou a Itália no centro do mundo através das artes e das ciências. Foi a redescoberta das referências culturais da Antiguidade, onde o ser humano é o personagem principal, que moldou o mundo que conhecemos hoje. O Renascimento valorizou a inteligência, o dom artístico, e a reflexão em busca do verdadeiro conhecimento. A Igreja Católica, que tem influenciado a cultura ocidental desde o século IV, acompanhou essa mudança e incentivou, como nunca antes, as artes, a pintura, a escultura, e especialmente a arquitetura.

A Toscana foi o centro do Renascença. Em Montepulciano a Igreja de San Biagio é um bellíssimo exemplo da arquitetura renascentista. Ela foi projetada em 1518 a partir do modelo da cruz grega e depois coroada por uma cúpula. A Igreja de San Biagio tem uma presença extraordinariamente poderosa, é um templo imponente e soberano. Essa construção monumental é obra do arquiteto Antonio da Sangallo il Vecchio. O acesso à praça da igreja é por uma pequena estrada com altos cipestres que margeam os dois lados do caminho. A igreja fica na Via di San Biagio 14,53045, a 1,5km de carro do centro histórico de Montepulciano.

Pertíssimo dessa igreja tem uma enoteca muito especial, um lugar rústico e charmoso que se chama Enoteca San Biagio. Mas não dá pra ver a enoteca porque ela fica embaixo da Canonica di San Biagio ( localizada exatamente em frente a igreja ). De costas para a entrada principal da Igreja de San Biagio, à esquerda, a uns 300 metros de distância tem uma plaquinha indicando a enoteca, é só descer essa pequena ladeira e lá está! A Toscana é um mundo a parte. Imagina uma enoteca num cenário desses com mesinhas do lado de fora com vista para o Vale d’Orcia!

Depois de visitar a igreja é uma delícia conhecer a enoteca, curtir os excelentes pecorinos da região e degustar os vinhos sugeridos por Maurizio Bracci, homem culto, conhecedor de vinhos e manager da enoteca. Nessa atmosfera única e ao embalo dos vinhos vale a pena se deixar perder um pouco no tempo porque a gente sabe que no vinho está a verdade.

 

Cin Cin!
Graziela Gilioli

1

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *